CÁSSIO – UM CRAQUE POLIVALENTE

Cássio

José Cássio da Silva, ou simplesmente Cássio, foi um dos jogadores que maior saudades deixou para os torcedores do Juventus.

Paulistano do Belenzinho, Cássio era um jogador polivalente no meio campo, ora ajudando a defesa ora municiando o ataque, aliando imensa garra com um futebol estiloso e clássico. Começou sua carreira atuando pelo C.A.Ypiranga, da Capital, de 1950 a 1955, onde foi bi campeão juvenil nas temporadas de 1952/53.

Com o encerramento das atividades do futebol profissional do Ypiranga em 1956, Cássio foi convidado pelo Presidente do C.A. Juventus. Sr. Modesto Mastrorosa a efetuar um teste no Clube da Mooca. Na ocasião, havia justamente terminado o curso de contabilidade e estava trabalhando na empresa Triconal, na esquina da Av. Paes de Barros x R Padre Raposo. Consultou seu pai, que não se entusiasmou muito com a ideia, pois não confiava nos dirigentes das equipes de futebol, mas acabou concordando porém com a condição de seu filho arrumar um emprego de meio período.

Diante disso, Mastrorosa convidou Cássio para trabalhar em sua empresa (Agência Geral de Turismo) possibilitando, assim, a sua contratação pelo Juventus em 1957, onde atuou com grande destaque até 1962, tendo participado de 125 jogos e marcado 25 gols em partidas oficiais do campeonato paulista de futebol. Participou de um dos ataques mais poderosos de todos os tempos da equipe da Mooca, composto por Lanzoninho, Zeola, Buzzone, Cássio e Rodrigues.

Cássio no Ypiranga
Cássio sendo carregado em triunfo

Dentre os fatos mais importantes de sua participação na equipe grená, destacamos fato ocorrido no campeonato de 1960, quando a equipe juventina terminou o campeonato nas últimas colocações, sendo obrigado a disputar o “Torneio da Degola”, que reunia as equipes com o pior aproveitamento de pontos num triangular onde só o primeiro colocado escaparia do rebaixamento. A disputa reuniu Juventus, América de São José do Rio Preto e Corinthians de Presidente Prudente, em jogos de ida e volta. Com três vitórias e um empate, o Moleque Travesso foi campeão do torneio e, consequentemente, se garantiu na elite estadual. Na partida final, realizada em 10 de fevereiro de 1962, no estádio da Rua Javari, o time avinhado goleou o América de São José do Rio Preto por 3 a 0, com gols de Cássio (2) e Mituca.

Tão expressiva foi a sua participação nesse último jogo que a torcida juventina, eufórica, logo após o apito final invadiu o gramado e carregou Cássio em triunfo.

A sua brilhante campanha não só nessa partida mas em todo o campeonato resultou na sua contratação pelo Corinthians, onde atuou nos campeonatos de 1962 (sendo campeão da Taça São Paulo) e 1963, sendo depois transferido para a Portuguesa de Desportos, onde jogou em 1963 e 1964, daí transferindo-se para o Endracht Aloist da Bélgica, posteriormente no Racing de Tournai e no Crossing de Scharbeek.

Após isso, em 1968, coincidentemente, transferiu-se para o Juventus Soccer, de Melbourne- Austrália, onde encerrou sua carreira de jogador, voltando para a Bélgica onde fez os cursos de treinador promovidos pela Federação Belga de Futebol e da Federação Francesa de Futebol, passando a treinar as equipes onde havia jogado até 1977 quando, por razões familiares abandonou o mundo do esporte e ingressou no Banco do Brasil em Bruxelas-Bélgica, onde se aposentou e onde ainda reside.

* Matéria publicada em setembro de 2014

Veja mais fotos do jogador